sábado, 26 de março de 2011

Teu Amor





E naquele dia __terrível__
com o mais profundo espanto,
eu me descobri, tal como era:
pecadora louca,
inimiga mortal do Criador!
O espírito desnudou-se
e pude ver __pasmada__
o amontoado de escórias,
o odor fétido,
a escuridão das trevas
e lá estava eu
pequena,
vacilante,
exangue.
Lembro-me que chorei
arrependida de meus passos,
envergonhada,
sem poder esconder tamanha imundícia.
E, naquele dia __tremendo__
compreendi a loucura da Tua cruz
pois a ela foi atraído o meu pecado,
a minha podridão.
Tudo o que jamais pude apagar
ou esquecer
Teu sangue lavou.
Não mais era eu enferma,
mas renascida em novidade,
com vestes alvas que me deste,
fora do lodaçal,
colocada em segurança
sobre a Rocha Viva!
Maravilhada quis ficar ali,
agradecendo __dia após dia__
com intensa felicidade.
Mas Tu disseste:
"Vai e conta aos outros
o que fiz em tua vida,
até que Eu venha
e estejamos juntos
para sempre."
E dirigi-me para o mundo,
apenas para falar de Ti,
dos Teus grandes feitos
e do Teu Amor.



Nenhum comentário:

Postar um comentário